terça-feira, setembro 27, 2005

Hipérboles rotineiras

"(...) o jornalista tem de recorrer continuamente ao exagero, mas sobretudo à hipérbole e, se for caso disso, à invenção. Compete-lhe vencer, à força de fantasia e literatura amplificadoras, a espantosa uniformidade da vida humana. Todos os dias, desde milénios, sucedem uns tantos assassínios, suicídios, roubos e incêndios - os nomes dos protagonistas e lugares mudam, porém as causas e formas são sempre, eternamente, quotidianamente, as mesmas.
O jornalista salva-se recorrendo ao exagero. Sob a sua pena, tudo assume um aspecto trágico ou satírico. Todo o terramoto que faça ruir duas casas é um cataclismo de que não há memória outro igual, uma rixa entre bêbados uma «luta na via pública», uma manifestação de mendigos «uma revolta», a assinatura de um tratado «uma data histórica», um orogotango amestrado «um milagre da ciência». Todo o aviador que fractura a coluna vertebral é um «herói da mais elevada estirpe», todo o transbordo de rios a «segunda edição do Dilúvio», toda a prostituta que mata ou se mata a protagonista de um «novo drama de amor». Os homens, na sua maioria sádicos, querem que o jornal lhes satisfaça o sadismo íntimo, pelo que tem de localizar, de país para país, todo o abrutalhado e malévolo que existe e apresentá-lo ainda mais bruto e mau. Se há uma mulher de permeio, ou é possível fingir que há, junta ao bruto um pouco do porco: o famoso binómio romântico - amor e morte - traduz-se facilmente em sangue e esperma. "
Giovanni Papini, "Relatório Sobre os Homens"

quarta-feira, agosto 24, 2005

O Triunfo dos Imbecis

"Não nos deve surpreender que, a maior parte das vezes, os imbecis triunfem mais no mundo do que os grandes talentos. Enquanto estes têm por vezes de lutar contra si próprios e, como se isso não bastasse, contra todos os medíocres que detestam toda e qualquer forma de superioridade, o imbecil, onde quer que vá, encontra-se entre os seus pares, entre companheiros e irmãos e é, por espírito de corpo instintivo, ajudado e protegido.
O estúpido só profere pensamentos vulgares de forma comum, pelo que é imediatamente entendido e aprovado por todos, ao passo que o génio tem o vício terível de se contrapor às opiniões dominantes e querer subverter, juntamente com o pensamento, a vida da maioria dos outros.
Isto explica por que as obras escritas e realizadas pelos imbecis são tão abundante e solicitamente louvadas - os juízes são, quase na totalidade, do mesmo nível e dos mesmos gostos, pelo que aprovam com entusiasmo as ideias e paixões medíocres, expressas por alguém um pouco menos medíocre do que eles.

Este favor quase universal que acolhe os frutos da imbecilidade instruída e temerária aumenta a sua já copiosa felicidade. A obra do grande, ao invés, só pode ser entendida e admirada pelos seus pares, que são, em todas as gerações, muito poucos, e apenas com o tempo esses poucos conseguem impô-la à apreciação idiota e ovina da maioria. A maior vitória dos néscios consiste em obrigar, com certa frequência, os sábios a actuar e falar deles, quer para levar uma vida mais calma, quer para a salvar nos dias da epidemia aguda da loucura universal."
Giovanni Papini, in 'Relatório Sobre os Homens'

terça-feira, agosto 16, 2005

Bactérias

As Bactérias são microorganismos que vivem na Terra há cerca de 3800 milhares de anos. Há evidências de que foram as primeiras formas de vida no planeta.
Foram identificadas a primeira vez há cerca de 300 anos, mas nem todas as bactérias são iguais.
Podem ser encontradas no ar, no solo, na água ou até no interior de outros organismos. Isto porque as bactérias são capazes de suportar grandes pressões, temperaturas elevadas, concentrações osmóticas mortais para outros organismos e valores pH radicais.
Algumas das doenças causadas por estes microorganismos:
Hidrofobia ou vulgarmente conhecida por Raiva
:
saliva introduzida pela mordida de animais infectados (o cão, por exemplo). Infecção: o vírus penetra pelo ferimento e instala-se no sistema nervoso. Controle: vacinação de animais domésticos e aplicação de soro e vacina em pessoas mordidas. Sintomas e características: febre, mal-estar, delírios, convulsões, paralisia dos músculos respiratórios (é doença mortal).

Hepatite Infecciosa: transmissão: gotículas de muco e saliva; contaminação fecal de água e objetos. Infecção: o vírus instala-se no fígado onde se multiplica, destruindo células. Controle: injeção de gamaglobulina em pessoas que entram em contato com o doente; saneamento, cuidados com alimentos ingeridos. Sintomas e características: febre, anorexia, náuseas, mal-estar, icterícia (pode ser fatal).

Papeira
: transmissão: contato direto; objetos contaminados; gotículas de saliva. Infecção: o vírus multiplica-se nas glândulas parótidas; eventualmente localiza-se em outros órgãos, como ovários e testículos. Controle: vacinação. Sintomas e características: parotidite (infecção das parótidas), com inchaço abaixo e em frente das orelhas (pode tornar a pessoa estéril se atingir os testículos ou os ovários).

Gripe: transmissão: gotículas de secreção expelidas pelas vias respiratórias. Infecção: o vírus penetra pela boca ou pelo nariz, localizando-se nas vias respiratórias superiores. Controle: nenhum. Sintomas e características: febre, prostração, dores de cabeça e musculares, obstrução nasal e tosse.

Rubéola: transmissão: gotículas de muco e saliva; contato direto. Infecção: o vírus penetra pelas vias respiratórias e se dissemina através do sangue. Controle: aplicação de imunoglobulina (com efeito protetor discutível). Sintomas e características: febre, prostração, erupções cutâneas (em embriões provoca a morte ou deficiências congênitas).

Varíola: transmissão: gotículas de saliva; objetos contaminados e contato direto. Infecção: o vírus penetra pelas mucosas das vias respiratórias e dissemina-se através do sangue; finalmente, atinge a pele e as mucosas, causando lesões. Controle: vacinação. Sintomas e características: febre alta e erupções cutâneas (geralmente deixando cicatrizes na pele; pode ser fatal).

Sarampo: transmissão: contato direto e indireto com secreções nasofaríngeas da pessoa doente. Infecção: o vírus penetra pelas mucosas das vias respiratórias e dissemina-se através do sangue. Controle: vacinação. Sintomas e características: febre alta, tosse, vermelhidão por todo o corpo (pode ser fatal em crianças).

Febre Amarela: transmissão: Picada de mosquitos, entre os quais se destaca o Aedes aegypti. Infecção: o vírus penetra através da pele, dissemina-se pelo sangue e localiza-se no fígado, na medula óssea, no baço e em outros órgãos. Controle: vacinação e combate aos mosquitos transmissores. Sintomas e características: febre alta, náuseas, vômitos, calafrios, prostração e pele amarelada (pode ser fatal).

Poliomielite: transmissão: alimento e objetos contaminados; secreções respiratórias. Infecção: o vírus penetra pela boca, multiplica-se no intestino, dissemina-se pelo sangue e instala-se no sistema nervoso central, onde destrói os neurônios. Controle: vacinação. Sintomas e características: paralisia dos membros; em muitos casos ocorrem apenas febres baixas e indisposição, que logo desaparecem sem causar problemas (provoca deficiência física).


AIDS (Síndrome da Imuno-Deficiência Adquirida): transmissão: sangue, esperma e muco vaginal contaminados. Infecção: o vírus penetra no organismo através de relações sexuais, uso de agulhas de injeção contaminadas ou transfusões de sangue infectado; ataca o sistema imunológico. Controle: uso de preservativos (Camisinha-vénus) nas relações sexuais e de agulhas descartáveis ou esterilizadas; controle rigoroso, por parte dos bancos de sangue da qualidade do sangue doado; ainda não existem remédios ou vacinas eficazes contra a doença. Sintomas e características: febre intermitente, diarréia, emagrecimento rápido, inflamação dos gânglios linfáticos, doenças do aparelho respiratório, infecções variadas, câncer de pele (doença mortal em 100% dos casos).

quinta-feira, julho 28, 2005

Tempos remotos

"Há nos confins da Ibéria um povo que nem se governa nem se deixa governar..."

Gaius Julius Caesar (100-44 a.c.)

terça-feira, julho 26, 2005

Latim: a origem

Resolvi deixar aqui uma frase em latim.
A tradução fica a cargo da vossa imaginação. Boa sorte!

ADEAMUS AD MONTEM FODERE PUTAS CUMPORRIB US NOSTRUS

terça-feira, julho 19, 2005

A humanidade

Uma vez perguntaram a Confúcio:

"O que o surpreende mais na humanidade?"

Confúcio respondeu:

"Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro e depois perdem o dinheiro para a recuperar. Por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem o presente, de tal forma que acabam por nem viver no presente nem no futuro. Vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se não tivessem vivido..."

segunda-feira, julho 11, 2005

Vizinhos

Esta noite repetiu-se o concerto que meia volta os nossos vizinhos de frente nos presenteiam. "Ai, ai, ai" "UI, ui, ui" "Ai, ai, ai" "Aaaah, aaahhh" "Ui, ui, ui". Para acompanhar a cantoria, eles têm o melhor instrumento musical propício para uma situação destas: uma cama com molas super elásticas, mas nem por isso menos barulhenta "iirrgh, irrrgh, irrgh".

Sim, é verdade, temos dois vizinhos gays, cujo quarto fica parede a meias com o nosso e por volta das 4h ou 5h da manhã começa a festividade: "Ai, ai" "iirrgh, iirrgh" "Ui, ui, ui" "iirrgh, iirrgh, iirrgh" "Ai, ai, ai" "iirrgh, iirrgh, iirrgh"...

Por esta altura coloco várias hipóteses:

a) deixo-lhes um bilhete de manhã a reclamar em nome da saúde e bem-estar público a compra de uma colchão de água e umas amordaças?

b) grito: "por amor de deus, despachem isso depressa, que eu quero dormir!"

d) vingo-me e coloco isto no meu blog?
Há falta de ajuda do público, arrisquei na d), embora as outras hipóteses não estejam ainda totalmente postas de lado.
Aceitam-se no entanto mais sugestões.
Estou no Blog.com.pt